Banner da página principal

Adoção da trilha do Morro da Urca e da pista Claudio Coutinho

Termo de adoção foi renovado em setembro de 2016 por mais 5 anos.

A Parceria Público-Privada tornou possível a adoção e a recuperação, pela Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar, de uma área verde de mais de 38 mil metros quadrados onde estão inseridos dois espaços queridos pelos cariocas e visitantes da cidade: a Pista Claudio Coutinho e a Trilha do Morro da Urca.

A trilha do Morro da Urca passou por melhorias visíveis ao longo de toda a sua extensão, tornando-se mais adequada à visitação. Logo no início, o trajeto ganhou um ponto de apoio, sinalização ecológica educativa e um mirante para a contemplação da paisagem próximo à chegada ao Morro da Urca, além de decks e passarelas de madeira. Também foram feitas obras de drenagem de águas pluviais e toda a flora que margeia o trajeto foi recuperada.


As intervenções foram realizadas de forma gradativa para que não fosse necessária a interdição dessas importantes áreas. Todos os projetos elaborados pela Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar foram submetidos à análise e aprovação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e da Fundação Parques e Jardins.

Já a Pista Claudio Coutinho teve sua entrada revitalizada e recebeu novos guarda-corpos que se somaram aos já existentes, que foram totalmente recuperados. A sinalização ao longo da via foi outro ponto de destaque do projeto e ganhou conteúdo educativo, criando no visitante a consciência sobre a importância da preservação ambiental. Pequenos largos ao longo da via foram recuperados e ganharam bancos novos.


A adoção em números:

• A Trilha do Morro da Urca recebem mais de 14 mil visitantes por mês.
• Mais de 500 árvores foram salvas, anteriormente ameaçadas de queda.
• Retirada de 400 árvores exóticas invasoras.
• Plantio de mais de mil mudas de espécies arbóreas da Mata Atlântica.
• Pista: 300 mil visitantes por ano.

Projeto de Manejo das espécies exóticas invasoras da flora:

Para a recuperação da biodiversidade nas áreas adotadas identificamos as principais Espécies Exóticas Invasoras (EEI) da flora, como por exemplo, a Jaqueira e a Leucena, que causam grande desequilíbrio ambiental, ameaçando as espécies nativas. Ao todo, foram plantadas mais de mil mudas de espécies nativas da Mata Atlântica para substituir as EEI que serão retiradas. Toda essa operação será realizada em seis anos, evitando causar prejuízo na oferta de alimento e abrigo para a fauna e o sombreamento da Pista Claudio Coutinho.

Mais informações sobre espécies exóticas invasoras (EEI) da flora:

As EEI foram trazidas de outros ecossistemas e se adaptaram às condições ambientais locais causando os seguintes problemas:

• Ameaçam o desenvolvimento das espécies nativas, por apresentar vantagens competitivas devido a sua agressividade e crescimento e reprodução rápidos;

• Representam uma contaminação biológica, causando empobrecimento dos ecossistemas e perda das variabilidades genética e da diversidade;

• Constituem um problema global, sendo considerada a segunda maior causa de extinção de espécies nativas no planeta.

Ingressos Online

Serviços do Parque

Ver todos

Digite o seu e-mail e receba novidades semanas